Profissionais do Hospital Metropolitano recebem treinamento sobre paradas cardiorrespiratórias

Atividade visa o aperfeiçoamento dos profissionais que atuam na assistência direta ao paciente

Profissionais do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, participaram, na última semana, de um treinamento de Reanimação Cardiopulmonar (RCP). A atividade teve como objetivo reforçar a exata aplicação do procedimento que, a qualquer momento, pode ser acionado em uma unidade de saúde. A ação avaliou ainda, o senso de criticidade e rapidez dos colaboradores frente à rápida e correta tomada de decisão.

“A parada cardiorrespiratória é a situação mais urgente que existe na medicina. Um minuto perdido pode resultar na ineficiência da ação e no comprometimento do sistema cognitivo do paciente”, explica Aníbal Machado, médico do HMUE. “Por isso, é importante entender o momento correto para a tomada de decisão e de qual maneira isso deve ser feito”, complementa.

A Reanimação Cardiopulmonar (RCP) é o conjunto de manobras que, segundo a Associação Americana do Coração, visa a melhoria das habilidades no atendimento do paciente com comprometimento cardiovascular grave, a fim de garantir o fornecimento de oxigênio e sobrevivência.

Criado pelo Governo do Pará e gerenciado pela Pró-Saúde, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência é referência em atendimento a vítimas de queimaduras e traumas, de diversas complexidades. Dentro da unidade, por meio do Núcleo de Educação Permanente (NEP), que conta com um calendário de ações previstas para ocorrerem durante o ano, o treinamento foi realizado de forma prática e teórica.

“É importante que esses profissionais entendam o seu papel na assistência ao paciente, sabendo quando e como agir, principalmente em momentos críticos. Todos são capacitados e já possuem esse conhecimento, mas os treinamentos servem para aprimorar essa atuação”, ressalta Maria de Fátima, enfermeira responsável pelo setor de Educação Continuada do Hospital Metropolitano.

Para Carlos Henrique, enfermeiro do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), o treinamento simboliza um avanço na assistência ao paciente. “É de extrema importância treinar e avaliar continuamente nosso desempenho. Para quem está atuando diariamente para salvar vidas e cuidar de pessoas, todo tipo de aprendizado é oportuno”, avalia o profissional.