Hospital Metropolitano completa 15 anos com reconhecimento assistencial no Brasil e mais de 3,5 milhões de atendimentos

Por conta da pandemia da Covid-19, as comemorações serão simbólicas, diferentes dos anos anteriores

Maior referência em traumas e queimados da região Norte do país, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) completou 15 anos na última quarta-feira, 17. Ao todo, são mais de 3,5 milhões de atendimentos em média e alta complexidade.

A unidade, pertencente ao Governo do Pará, foi inaugurada em 2006 no município de Ananindeua. O hospital possui mais de 20 especialidades e ultrapassou, em 2020, o índice de 95% de satisfação dos usuários.

Em 2012, a Pró-Saúde, uma das maiores entidades filantrópicas de gestão em serviços de saúde e administração hospitalar do Brasil, assumiu a gestão do Metropolitano. Desde então, a instituição vem consolidando padrões de excelência e de segurança como diferenciais no atendimento ao paciente.

 Diante da pandemia do novo coronavírus, a comemoração não será como nos anos anteriores. Dessa vez, uma estrutura que simboliza um bolo foi montada na entrada da unidade, além de um mural com fotos antigas dos colaboradores e das ações desenvolvidas na instituição.

Leonardo Ramos, coordenador do DEP, trabalha no Metropolitano desde a fundação da unidade. “Ao ver as fotos nos murais lembrei – com saudade – dos desafios e histórias da unidade. Desejo sucesso para o hospital, pois são 15 anos salvando vidas”, parabenizou.

Recém contratada, a analista de sustentabilidade, Amanda Queiroz, falou sobre como ela via o hospital antes de ser admitida. “Sempre via e lia nos noticiários sobre a instituição, os projetos que eram desenvolvidos, principalmente voltados para o paciente. fui contratada e já sinto orgulho por fazer parte dessa família”, afirmou.

Reconhecimento e certificações

Para comemorar os anos de existência, a diretora Hospitalar, Alba Muniz, explica que a unidade ganhou o presente antecipado. Em outubro de 2020, o HMUE conquistou a certificação Acreditado Pleno, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA).

A certificação atesta que o Metropolitano atende aos padrões internacionais de qualidade e segurança assistencial dedicados aos pacientes. “Entramos para a seleta lista dos hospitais públicos mais importantes do Brasil com a certificação ONA 2. Isso mostra que é possível oferecer um serviço de saúde pública com qualidade e eficiência ao cidadão”, comenta Alba.

Ainda no ano passado, o HMUE passou a ser signatário do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas), que reconhece a prática de princípios internacionais nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção.

O hospital ainda conquistou o prêmio “Amigo do Meio Ambiente” (AMA), após reduzir quase 44% o número de resíduos infectantes na unidade e conseguir uma economia estimada em 71 mil reais por ano com a iniciativa.

 Em 2019, foi o vencedor do prêmio INOVA SUS, concedido pelo Ministério da Saúde pela criação do primeiro Laboratório de Tecnologia Assistiva (LABTA), com a fabricação de órteses de baixo custo para vítimas de traumatismo e queimaduras. Em um ano de existência, desde a sua criação, o Labta já produziu quase 2 mil órteses.

No mesmo ano, alcançou o segundo lugar nacional no Programa “Green Kitchen”, que reconhece as boas práticas sustentáveis, com a adoção de uma alimentação saudável para colaboradores e pacientes. Durante o período de gestão da Pró-Saúde, o Metropolitano conquistou quatro selos do programa, além de implantar a criação de uma horta sustentável e práticas de compostagem orgânica.

Além das conquistas e certificações, o Hospital Metropolitano trabalha na formação de residentes médicos e multiprofissionais, na produção de pesquisas, principalmente para dar suporte neste período de pandemia.

A unidade formou quase 6 mil residentes, entre médicos e multiprofissionais. Desse número, aproximadamente 80% dos residentes que se formaram permanecem no Estado, atuando e ajudando a população.

“Nesses 15 anos muitas vidas foram salvas. Mas não se trata apenas de um número, falamos do compromisso da Pró Saúde quanto à qualidade do serviço que é reconhecida nacionalmente. As estratégias envolvendo a sustentabilidade, educação, pesquisa e humanização traduzem o alto índice de satisfação dos nossos usuários”, conclui a diretora Alba.