Hospital Metropolitano promove oficina sustentável de enfeites natalinos

O trabalho é uma extensão do projeto “ReciclaMetrô”, que visa criar uma cultura sustentável dentro e fora do hospital

Garrafas pet e outros materiais recicláveis ganham formas de enfeites natalinos, como bolas, presépio e guirlandas, nas mãos de pacientes e acompanhantes do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém (RMB).

A ação faz parte do projeto “ReciclaMetrô” e tem a ideia de despertar o interesse pelo desenvolvimento sustentável por meio da criatividade, e também, promover um momento de relaxamento aos pacientes que passam por longos períodos no ambiente hospitalar.

O irmão da Stefanny Silva, de 27 anos, está internado no Metropolitano após sofrer acidente de moto. Ela participou da ação e afirmou que vai levar o conhecimento para a família. “Depois de tudo que aprendi na oficina, vou ensinar meus parentes e vamos deixar nossa casa mais bonita”, explicou.

Mantido pelo Governo do Pará e sob gestão da Pró-Saúde, o Hospital Metropolitano carrega em sua visão ações que promovam qualidade, humanização e sustentabilidade, que impactam diretamente a vida dos pacientes.

“Com as oficinas, as acompanhantes despendem o tempo ocioso, muitas vezes de longos períodos no hospital, em um novo aprendizado. Separamos materiais que podem ser reaproveitados em objetos de decoração, tendo como justificativa o período natalino”, enfatizou a supervisora de humanização, Natália Failache.

O material produzido será utilizado na decoração do Hospital Metropolitano. As acompanhantes também podem levar para casa e decorar o ambiente familiar.

Arrecadação de garrafas de plástico

A oficina “ReciclaMetrô” foi criada em 2019, com a finalidade de ensinar, por meio das artes manuais, a importância da reutilização e nova destinação de itens que seriam descartados em aterros sanitários.

Neste ano, para realizar a ação, foram arrecadas garrafas de plástico por meio de campanhas envolvendo os colaboradores do hospital. Em três meses foram arrecadadas mais de mil garrafas pet.

“E experiência tem sido exitosa dentro da unidade. O incentivo ao descarte correto de resíduos e o estímulo a reciclagem dentro do Metropolitano contribuiu para o aumento do índice de aceitabilidade as ações sustentáveis aplicadas na unidade”, ressaltou Adriana Durans, analista de sustentabilidade do hospital.

Além das garrafas, a campanha reciclou ainda mais de 7 mil unidades de bombonas – reservatório plástico resistente – evitando que esse material fosse parar na natureza. “O meio ambiente sai ganhando e consequentemente a população, que precisa sobreviver nesse planeta, mais limpo e menos poluído”, concluiu Adriana.