Hospital Metropolitano realiza ações alusivas ao Setembro Amarelo e de prevenção ao suicídio

Quase 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS)

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), tem realizado durante o mês de setembro, diversas ações voltadas a campanha Setembro Amarelo, mês de valorização da vida e prevenção ao suicídio.

A coordenadora de Psicossocial, Jucielem Farias, explica que a programação inclui rodas de conversa e mostras de vídeos para acompanhantes e colaboradores da unidade. “Buscamos apresentar sinais e comportamentos de pessoas em risco de suicídio e os locais para pedir auxílio no Sistema Único de Saúde (SUS)”, ressaltou.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. As informações mostram ainda que, a cada ano, cerca de 800 mil pessoas tiram a própria vida no mundo.

“O Hospital Metropolitano recebe pacientes de mais de 60 municípios do estado do Pará e presta todo o atendimento necessário para as vítimas de tentativa de suicídio”, acrescentou a coordenadora do setor de Humanização do Metropolitano, Natália Failache.

Colaboradores e usuários receberam cartilhas sobre o assunto. Foto: Ascom / Pró-Saúde.

Atenção para os sinais

A psicóloga Carlena Alho faz um alerta para os possíveis sinais da depressão e que pode levar a pessoa ao suicídio. São eles:

• Sem autocuidado, desânimo, falta de apetite e isolamento;
• Automutilação;
• Mudanças repentinas de comportamento;
• Expressões de ideias e intenções suicidas ficam frequentes como, “vou desaparecer”, “queria dormir e não acordar mais”;
• Oscilação de humor;
• Sono excessivo ou insônia;
• Insinua cansaço com a própria vida, não faz planos e perde o interesse em atividades que gostava.

A psicóloga ressalta que ao perceber um desses sintomas, basta ligar para o Centro de Valorização da Vida (CVV). “Os voluntários do CVV doam seu tempo e sua atenção para quem deseja conversar com outra pessoa de forma anônima e sigilosa. Esse canal tem ajudado muitas pessoas com problemas de depressão”, concluiu.

O número do CVV é: 188.