Hospital Metropolitano recebe especialista do Ministério da Saúde

A especialista apresentou palestra sobre a segurança do paciente para os colaboradores da unidade

Nesta quarta-feira (25), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, recebeu a especialista do Programa Nacional de Segurança do Paciente, Luciana Yumi Ue, representante do do Ministério da Saúde.

A especialista ministrou palestra aos colaboradores do hospital sobre o envolvimento dos pacientes e acompanhantes nos cuidados dentro da Unidade. O objetivo é evitar risco de quedas, lesões por pressão, infecções por higiene inadequada das mãos, além de promover corretas identificação e comunicação, e segurança em cirurgias e medicações.

De acordo com a especialista, quando uma pessoa vai fazer um exame médico ou uma consulta, é procedimento padrão a verificação nos nomes constantes nas amostras e na identidade do indivíduo. A situação faz parte da conduta dos profissionais de saúde, entretanto, os usuários também devem assumir para si a responsabilidade sobre a segurança do seu atendimento. As diretrizes relatadas por Luciana Yumi estão previstas no projeto Paciente Seguro, também do Ministério do Saúde, que começou a ser implantado no HMUE em abril deste ano.

Luciana veio ao Pará conferir o andamento das ações nas Unidades do Governo, sob contrato de gestão com a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar. A visita faz parte do suporte à execução do projeto, reforçando ações que já são desenvolvidas em outros hospitais também gerenciados pela entidade, como Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém; Regional do Baixo Amazonas, em Santarém e Regional do Sudeste do Pará, em Marabá. “Os pacientes atuam diretamente no processo, sabem como funciona e tem ideias de mudança”, explicou Luciana.

Os acompanhantes também têm um papel determinante na segurança de quem está internado. Por isso, uma ação piloto começou a ser aplicada nos casos em que a internação já dura mais de 15 dias. Os ‘Agentes do Bem’ são os próprios acompanhantes que atuam como guardiões para verificar ações simples como, por exemplo, travamento de rodinhas e grade de proteção em leitos; uso de álcool gel; atenção ao risco de queda em banheiros. “É um incentivo, a gente fica mais tempo no leito do que os próprios profissionais. Estamos lá para prevenir”, avaliou Márcio Rodrigues, que acompanha o pai há quase um mês após acidente de moto.

O diretor Hospitalar, Itamar Monteiro, reforçou a importância do envolvimento deles. “Ninguém melhor do que os acompanhantes para colaborar com a equipe assistencial. Agradecemos pela ajuda, não apenas no acompanhamento dos familiares, mas os outros que estão convivendo e dividindo o espaço durante a permanência”, elogiou Itamar. Os pacientes também exercem protagonismo, considerando a condição física e as limitações do tratamento de cada um.

O tema é foco de discussão em uma série de atividades desenvolvidas até a próxima sexta, 27, na 3ª Semana de Segurança do Paciente do Hospital Metropolitano. Além da palestra da representante do Ministério da Saúde, são realizadas atividades lúdicas nas áreas da Unidade, junto ao quadro de colaboradores, pacientes e acompanhantes.

Sobre o HMUE

Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em

Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusivo para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI.

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade.

Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.