Hospital Metropolitano ganha reforço no combate a incêndios e na segurança de colaboradores e pacientes

Ao todo, unidade conta com 150 voluntários preparados no combate a incêndios, prestação de primeiros socorros e evacuação de ambientes.

Nesta sexta-feira, 28 de junho, foi concluída a capacitação da última turma de colaboradores apta a atuar na Brigada de Incêndio do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), e gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar. Com a conclusão dessa etapa, mais 100 profissionais estão treinados para agir de forma segura em caso de necessidade na Unidade. O contingente soma-se aos 50 voluntários já habilitados pelo Corpo de Bombeiros.

A brigada atua na prevenção e combate a incêndios, prestação de primeiros socorros e evacuação de ambientes. Para isso, os voluntários foram divididos em três turmas treinadas nos meses de abril, maio e junho. Durante o período, eles receberam informações teóricas e práticas sobre primeiros socorros; prevenção e combate a incêndio; e avaliação e simulado do plano de abandono.

De acordo com o coordenador da Brigada de Incêndio e técnico de Segurança do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho do hospital (SESMT), Carlos Henrique da Costa, a ação aumenta a segurança de todos os públicos presentes no hospital. “Nosso risco é baixo para incêndio, mas com essa formação passamos a ter uma tranquilidade maior”, avaliou.

Durante a preparação, os voluntários tiveram duas atividades práticas: a prevenção e combate a incêndio, na qual eles aprendem a lidar corretamente com água e mangueiras e nas estratégias de resgate de possíveis vítimas; e o simulado de abandono do prédio, na qual são feitas movimentações de pessoas pelas saídas de emergência e escadas.

Antônio Marcos Miranda atua como maqueiro do Pronto-Atendimento e já tem habilidade no transporte de pacientes, importante para o caso de evacuação do ambiente. “Foi de grande aprendizado para mim. A gente vai lembrando do que, às vezes, já até sabe, mas precisa praticar. Isso vai ser importante para a minha atuação profissional”, acreditou.

Com o treinamento, os voluntários passam a ter registro válido por dois anos no Corpo de Bombeiros, para atuar em operações na Unidade. Além deles, o HMUE é dotado de quatro bombeiros civis que cobrem o hospital em regime de escala.

Sobre o HMUE

Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusivo para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI.

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.