Metropolitano leva treinamento sobre auditoria e segurança do paciente a fiscais do Conselho Regional de Enfermagem

Por se destacar entre as unidades de saúde pública do Estado com um trabalho ativo e eficaz voltado para a qualidade e segurança do paciente, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), foi convidado pelo Conselho Regional de Enfermagem (COREN-PA) para realizar treinamento com os fiscais da entidade sobre Auditoria e as Metas de Segurança do Paciente. A Unidade – gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Saúde do Estado do Pará (SESPA) –, foi representada pelo enfermeiro Wellingthon Munhoz, Coordenador de Enfermagem da Diretoria Assistencial do HMUE.

Com base no que é vivenciado e aplicado na rotina hospitalar do Metropolitano para a qualidade dos serviços oferecidos na Unidade, no treinamento foram abordados os métodos utilizados pela Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP) para disseminar os protocolos de segurança do paciente entre colaboradores e usuários; e na realização das auditorias periódicas para avaliar como está sendo feito o gerenciamento de riscos e de que maneira os profissionais de saúde estão atuando neste propósito.

“Um hospital tem que saber visualizar a concepção de cultura de segurança do paciente entre os seus profissionais, é preciso engajar a equipe e fazê-la comprometida com as metas de segurança que só irão resultar em benefícios para os pacientes e para a instituição”, destacou Wellingthon.

Os fiscais foram orientados quanto a importância das Metas de Segurança do Paciente, que são: Meta 1 – Identificação Correta, Meta 2 – Comunicação efetiva, Meta 3 – Uso de Medicamentos, Meta 4 – Cirurgia Segura, Meta 5 – Redução do Risco de Infecções e Meta 6 – Prevenção de Quedas e Lesões por Pressão.

Também foi abordado o uso dos símbolos gestuais que identificam as metas e facilitam o aprendizado, de que forma cada uma delas pode ser avaliada nas auditorias, como fazer as notificações e a elaboração do gerenciamento de risco, com a identificação do risco, os fatores causadores e as práticas de controle.

Para a Coordenadora dos Fiscais do COREN-PA, Adria Brito, o treinamento possibilitou aperfeiçoar o conhecimento da equipe e contribuir para a melhor fiscalização do exercício profissional da enfermagem na assistência.

“Nos agregou um olhar diferenciado sobre a importância da segurança do paciente e do gerenciamento de riscos que vamos poder aplicar nas fiscalizações, avaliando o envolvimento da enfermagem com as metas de segurança e de que forma os estabelecimentos de saúde estão trabalhando neste âmbito, não só para atender uma norma ministerial, mas por se preocupar em prestar uma assistência segura e de qualidade”, considerou Adria.

Sobre o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE)

Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusivo para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI.

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de onze Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativo, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.