Hospital Metropolitano participa da 16ª Semana de Enfermagem do COREN-PA 

Nesta sexta-feira, 17/05, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) esteve presente na programação da XVI SENF – Semana de Enfermagem promovida pelo Conselho Regional de Enfermagem – Pará, realizada no Hotel Sagres, em Belém (PA). O Coordenador de Enfermagem da Diretoria Assistencial do HMUE, Enfermeiro Wellingthon Munhoz, levou aos participantes o tema “Atuação da equipe de enfermagem com foco na Segurança do Paciente”.

A segurança do paciente é o ato de evitar, prevenir ou melhorar os resultados adversos ou as lesões originadas no processo de atendimento médico-hospitalar. A segurança é uma importante dimensão da qualidade e uma das principais diretrizes aplicadas na rotina do Hospital Metropolitano – gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Saúde Pública do Estado do Pará (SESPA). Segundo o palestrante, a enfermagem está envolvida nesse processo como promotora de ações de segurança por meio de suas práticas de cuidado.

Wellingthon destacou que a segurança do paciente representa um dos maiores desafios para a excelência da qualidade no serviço de saúde. Para ele, uma das principais estratégias é a implantação de uma política institucional de cultura de segurança, definida como o resultado de um conjunto de atitudes e percepções, individuais ou coletivas; com aplicação das metas de segurança, desde a identificação do paciente, na comunicação entre os profissionais, no fluxo de medicamentos, na cirurgia segura, no controle de infecções e na prevenção de quedas e lesões por pressão.

“Na área da saúde, a formação de uma cultura de segurança deve ser baseada em atitudes que favoreçam o bem-estar do paciente. O trabalho em equipe e a comunicação eficaz são peças-chave neste processo, em todas as etapas do inserindo o paciente em seu tratamento com informações claras, atuando de forma assertiva no controle para a redução de danos e na construção do cuidado seguro”, acrescentou o Munhoz, diante de um público de cerca de 3 mil profissionais e acadêmicos de enfermagem.

Para a conselheira do Coren-PA, Ana Gabriela Sabaá, a abordagem do tema é de grande importância e vem sensibilizar profissionais formados e em formação que atuam na enfermagem em todo o Estado.

“A enfermagem representa a maior força de trabalho dentro das unidades de saúde, se nós não nos comprometermos com as metas, elas não serão alcançadas. Por isso, a integração da categoria na cultura de segurança do paciente tem impacto direto na prevenção de eventos adversos e na prestação de uma assistência de qualidade à população paraense”, declarou a conselheira.

Sobre o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE)

Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusivo para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI.

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de onze Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativo, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.