Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência realiza oficina sobre alimentação sustentável

Ação voltada para acompanhante de pacientes internados ensinou como utilizar partes de alimentos normalmente desprezadas, mesmo ricas em nutrientes

Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), promoveu na última quarta-feira (17), uma Oficina de Alimentação Sustentável. A ação contou com a participação dos acompanhantes de pacientes internados na unidade, que é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Realizada pelo Serviço de Nutrição e Dietética (SND), a oficina teve como objetivo mostrar ao público atendido formas saudáveis e sustentáveis de se alimentar.

A alimentação sustentável está baseada no Aproveitamento Integral dos Alimentos (AIA), e consiste em utilizar em sua preparação partes de alimentos que normalmente são desprezadas e que são ricos em nutrientes, como cascas, talos, sementes, entrecascas e folhas.

A oficina foi ministrada pelas nutricionistas e cozinheiras do setor, que ensinaram aos participantes o conceito de uma alimentação sustentável, informações nutricionais dos alimentos, a separação correta do lixo e como fazer as preparações. O menu selecionado para a oficina foi bolinho de arroz, torta de talos, bolo de casca de banana com canela, suco de couve e suco de cenoura com limão galego.

A nutricionista Aglais Neta destacou que além de favorecer a saúde, a alimentação sustentável também traz benefícios sociais, ambientais e econômicos. “Partes de alimentos que muitas vezes são desperdiçadas podem se transformar em receitas deliciosas e com diversas propriedades nutricionais importantes para o nosso organismo. Com o reaproveitamento de alimentos é possível cuidar da saúde e ao mesmo tempo do meio ambiente, além de ter baixo custo e ser uma oportunidade de gerar renda extra”, explicou a nutricionista.

A cozinheira Maria Francisca Paulino, que trabalha há 10 anos no HMUE, foi quem deu as dicas de como preparar as receitas. Ela contou que são preparações fáceis e rápidas de fazer e que conquistam o paladar de muita gente. “São opções que vão deixar a alimentação das famílias dessas pessoas muito mais saudável, estimulando a prática do consumo consciente, com menos impacto ambiental. É muito gratificante poder repassar a elas um pouco do meu conhecimento e o que praticamos diariamente nas refeições do Hospital”, disse Maria.

Entusiasmada com o que aprendeu na oficina, a acompanhante Siléia Campelo da Silva já planeja fazer várias receitas em casa. “Eu não imagina mesmo que era possível fazer receitas reaproveitando alimentos que iriam para o lixo. Um jeito econômico de comer bem e ainda deixar o meio ambiente mais limpo. Gostei muito e quero logo incluir essas dicas na alimentação em casa”, contou.

Cozinha com Selo Verde

Reconhecido com o Selo Green Kitchen, o Hospital Metropolitano se destaca pelo uso de práticas sustentáveis e constante busca pelo aprimoramento do padrão de qualidade da alimentação fornecida na Unidade, que fizeram o Hospital alcançar o 3º lugar do Brasil no ranking do Programa.

“O selo verde nos insere no perfil diferenciado hospitalar, nos preocupamos em ser influenciadores da alimentação saudável e sustentável e buscamos sempre compartilhar isso com o público atendido pelo Hospital”, destacou Edilssa Carla Lopes, Coordenadora do SND do Hospital Metropolitano.

Sobre o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE)

Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusivo para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI.

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma das maiores entidades de gestão de serviços de saúde e administração hospitalar do País. Tem sob sua responsabilidade mais de 2.068 leitos e o trabalho de cerca de 16 mil profissionais, sendo 2,9 mil médicos, contribuindo para a humanização do atendimento hospitalar, em especial do SUS.

Com excelência técnica e credibilidade nacional, é uma Organização Social de Saúde (OSS) que oferece uma gama de serviços em benefício da vida. A atuação na área de administração hospitalar tornou a entidade amplamente reconhecida no setor e permite que a Pró-Saúde ofereça a mesma qualidade em assessoria e consultoria, planejamento estratégico, capacitação profissional, diagnósticos hospitalares e de saúde pública, gestão de serviços de ensino e muitos outros.

A atuação da Pró-Saúde, entidade sem fins lucrativos, se alinha aos esforços da sociedade para o aperfeiçoamento dos serviços públicos de saúde. Como organização alicerçada na ética cristã e na vasta experiência católica de trabalho social, voltada aos mais diversos públicos, nas mais distintas realidades, a Pró-Saúde prima pela valorização da vida e pela defesa das condições essenciais para o desenvolvimento das pessoas.