Dia do Médico é comemorado no Hospital Metropolitano com foco na ética profissional

O Dia do Médico foi comemorado no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) com uma sessão de cinema sobre ética na prática médica com o filme “Um Golpe do Destino”.

Um grupo de profissionais se reuniu no auditório 1, da unidade em Ananindeua (PA), para a sessão do filme. Na história, o cirurgião de sucesso Jack Mckee é emocionalmente desconectado de seus pacientes e de sua família. Ao descobrir um tumor maligno, o médico passa a enxergar a vida sob a perspectiva de um paciente. Ao conhecer uma mulher doente, porém muito corajosa, percebe a necessidade do exercício da compaixão na medicina.

Os médicos conversaram sobre a conduta do cirurgião no filme. Para o coordenador da Clínica Pediátrica do HMUE, Antônio Carlos Andrade Pontes, os profissionais médicos precisam ter cuidado e empatia na hora de dar um diagnóstico, por exemplo. “Às vezes damos um diagnóstico brilhante que pode acabar com a vida do paciente. Devemos sempre ter cuidado, podemos até ter acertado no diagnóstico, mas é bom ser cuidadoso em como vamos passar isso ao paciente”, pontuou.

A médica do Trabalho do HMUE, Taís Sampaio, concordou e destacou a necessidade de humanização na conduta médica. “Por mais que a gente passe por adversidades, porque não é fácil ser médico, este filme nos ensina que a gente precisa ter humanidade em nossa conduta diária”, disse.

Além da sessão de cinema, com direito a lanche e pipoca, os profissionais de Medicina foram presenteados com cartões que foram distribuídos em seus setores de atuação como o Pronto Atendimento, Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), Clínicas de Internação, Unidade de Terapia Intensiva e Centro Cirúrgico.

O diretor-geral do HMUE, Rogério Kuntz, parabenizou os profissionais e lembrou que a missão deles é a mesma da unidade: salvar vidas. “Médicos são instrumentos de Deus para salvar vidas, é algo que vem ao encontro da missão do Hospital Metropolitano. Agradecemos a importantíssima atuação e dedicação de todos vocês”, disse.

Atualmente o Hospital Metropolitano conta com um corpo clínico formado por mais de 200 médicos. A unidade, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), é um estabelecimento de saúde de média e alta complexidades para atendimento de urgência e emergência em trauma e referência no tratamento a queimados para a região Norte do Brasil, sendo formadora de profissionais de saúde.