Dia Nacional de Luta contra Queimaduras é lembrado com simulação no HMUE

Prevenção e orientação são as estratégias usadas pelo Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), que é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), para levar informação à comunidade sobre as sequelas físicas e psicológicas que os acidentes com queimaduras podem trazer para a vida de um paciente.

Nesta terça-feira, 6/6, a unidade em parceria com voluntários da Cruz Vermelha realizou uma simulação de acidente com queimaduras. A data marca o Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras. A intenção é sensibilizar para o manuseio de fogo, líquidos inflamáveis e quentes e, caso o acidente ocorra, orientar sobre como proceder para minimizar a dor do paciente até a chegada do atendimento especializado.

Os voluntários encenaram um acidente com queimadura de segundo grau. Durante a encenação, voluntário da Cruz Vermelha, Joel Miranda dos Santos, explicou que um procedimento primordial no socorro à vítima de queimadura é não friccionar o local afetado. “Deixe cair água no local queimado, sempre água em temperatura ambiente. Se formarem bolhas jamais estoure para que não haja risco de infecção”, explicou.

O médico do CTQ, Antônio João, acrescentou que o uso da água corrente, e somente ela, é fundamental para evitar mais dor ao paciente. “Não é necessário passar pomadas, manteigas ou qualquer outra coisa na região afetada”. O profissional contou que é casos de pacientes que chegam à unidade com borra de café aplicada na queimadura. “É um produto de difícil limpeza, que precisa ser retirado com soro fisiológico, o que pode causar ainda mais dor ao paciente”, descreveu.

O médico também diz que até a chegada da ajuda especializada o local da queimadura deve ser mantido úmido. Ele disse que ações como a roda de conversa, que ocorreu após a simulação, servem para conscientizar mais pessoas para a importância da prevenção de queimaduras.

Gestor operacional da Cruz Vermelha no Pará, Carlos Moraes, também enfatiza a orientação como a melhor opção para as instituições que atuam na área de saúde. “É importante mostrar à população que muitos acidentes com queimaduras podem ser evitados. Nosso objetivo é orientar e prevenir as pessoas para que não se acidentem e evitem sequelas adicionais”, finalizou.