Pacientes celebram o renascimento na Páscoa do Hospital Metropolitano

Na semana em que os cristãos celebram a ressurreição de Jesus, a pequena I.V.A. ganhou um “parabéns a você” com gostinho de recomeço durante a celebração de Páscoa do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA).  A menina que completou dois anos nesta terça-feira, 11/4, está  há 22 dias internada na unidade depois de um acidente doméstico.

A mãe, Maria Adacleice Lobo Viana, conta que a menina teve traumatismo cranioencefálico depois que uma máquina de lavar de sete quilos caiu em cima da filha no último dia 20/3. “Ela estava brincando quando puxou a máquina e o aparelho caiu em cima dela. Os médicos tiveram que abrir a cabeça para retirar um coágulo e ela levou 30 pontos”, explicou.

Depois de 15 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica, a pequena foi transferida para um leito na Pediatria do HMUE e pôde participar das celebrações de Páscoa da unidade. Organizada pelos setores de Humanização e Psicossocial, a programação contou com ato ecumênico, distribuição de ovos de Páscoa, apresentação de música gospel e do grupo de dança infantil “Nasci Para Te Adorar”, da igreja Aliança com Deus.

O médico do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) da unidade, Antônio Oliveira Santos Junior, abriu a programação falando aos pacientes sobre a importância da transformação. “Sei que em alguns momentos a gente se questiona porque algumas coisas aconteceram, porque fomos escolhidos, mas não cabe a nós decidirmos o rumo da nossa vida. Cabe a nós, decidirmos como reagir frente ao que aconteceu”, refletiu. O profissional lembrou ainda que a celebração na instituição é o momento de agradecer as bênçãos da transformação.

As crianças e adultos atendidos pelo CTQ, e as crianças atendidas pela Pediatria do Metropolitano participaram também de um momento de oração comandado pelas professoras do projeto “Classe Hospitalar”, Maria Odenir Félix da Silva e Ilma Gomes.  A celebração no HMUE teve ainda a apresentação do Coelhinho da Páscoa e distribuição de ovos de chocolate.

A programação artística ficou a cargo da cantora mirim Maria Eduarda Gomes de Melo, nove anos, que entoou cantos evangélicos impressionando crianças e adultos com sua voz. Além de Maria Eduarda, as meninas do grupo de dança “Nasci Para Te Adorar” se apresentaram na Páscoa do Metropolitano. Elas participam pela segunda vez de ações de humanização no hospital.

Estreante nas atividades do HMUE, a coordenadora de Humanização da unidade, Thais Cabral, ressalta a esperança que ações como esta traz ao paciente. “Para quem está internado é um momento positivo dentro de um contexto de sofrimento. Esta festa representa o novo, a esperança no melhor, na cura, no voltar para casa e é um momento de fé dentro do contexto da hospitalização”, apontou.

A psicóloga da equipe Multidisciplinar do CTQ, Jaqueline China, adiciona o caráter pedagógico e psicológico da atividade. “O tratamento de queimados envolve dor e que melhor remédio do que a alegria, a paz e a celebração para que os pacientes esqueçam o que estão vivendo”, questiona. “Para a psicologia é muito melhor esse tipo de intervenção do que o atendimento na beira do leito”, finalizou.