Hospital Metropolitano reúne pacientes, acompanhantes e colaboradoras para celebrar o Dia das Mulheres

Ação de estética

Membros superiores, a região do tórax e o pescoço com ferimentos por queimadura. O dia das mulheres de uma delas, internada no Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), foi de reflexão. Afinal, uma agressão, que tem um homem como principal suspeito de ter jogado álcool e ateado fogo na companheira, de 38 anos, é um episódio triste. “Eu queria estar com a minha saúde. Estou melhorando e é isso que desejo nesse dia das mulheres”. Entre as reflexões feitas, um recado para as mulheres. “Ame-se mais, se dê mais valor sempre. Que o meu episódio sirva de exemplo a outras pessoas”, disse.

A paciente, que não quis ser identificada, foi uma das participantes de uma oficina, promovida pela unidade de saúde, por meio dos setores de psicossocial e Classe Hospitalar, dentro da programação do dia das mulheres. Acompanhantes, crianças e homens desenvolveram cartas variadas, com mensagens de carinho e desenhos. A acompanhante Maria Madalena Paz da Silva auxiliou a confecção do presente do filho, menor de idade, que também passa por tratamento no CTQ. “Ele me ditou e eu escrevi a minha própria carta. É que ele ainda não pode escrever, mas ainda assim, me homenageou, pediu que eu fizesse uma flor. É bom que distrai, esquecemos que estamos em um hospital”, disse Maria.

A psicóloga Jacqueline China explicou que o momento objetivou a valorização e o resgaste da data para a figura feminina. “Trabalhamos a valorização do papel da mulher, seja ela acompanhante ou paciente. É uma ação terapêutica para tirar o foco da dor e sentimentos como ansiedade, pelo fato de estar em um hospital”, explicou a profissional.

Além da oficina para pacientes e acompanhantes, o dia das mulheres do Hospital Metropolitano teve uma ação de estética com o auxílio de profissionais do ramo, voltada aos profissionais da unidade. “É ótimo ser lembrado nesse dia, em que todas as mulheres estão comemorando, refletindo e projetando melhoras sempre”, disse a técnica de Enfermagem Marly Malafaia, que foi orientada sobre maquiagem e produtos de beleza. A programação foi concluída com uma ação lúdica em que um grupo de voluntários levou música e atividades para as clínicas de internação. A dona de casa Maria da Conceição, cujo filho de oito anos está internado, vítima de um trauma, se distraiu. “Alegra a nossa tarde, especialmente, porque é dia das mulheres. Ficamos felizes”, disse.

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospital sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).