Colaboradora em licença-maternidade recebe visita institucional da equipe de Gestão de Pessoas do HMUE

Colaboradora Natália ganhou a visita da equipe do HMUE

Natalia Failache lida com um momento especial da sua vida. Ela foi mãe pela primeira vez há menos de três meses. O pequeno Bernardo tem uma personalidade tranquila. “Ele só acorda uma vez durante a madrugada”, garante Natalia. E é sorridente e simpático. “É um momento de descoberta, de aprendizado. Esse período é de adaptação para esta nova vida”, frisa Natalia, que atua no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) como assistente social, acolhendo acompanhantes e pacientes, tendo a missão de repassar informações sobre direitos. No momento, ela está afastada da profissão que escolheu por conta licença maternidade.

Porém, Natalia lembrou, com carinho e saudade, da rotina dentro de um hospital na última quarta-feira, 22/2, quando recebeu uma equipe da unidade hospitalar que a visitou na residência da família, localizada em Icoaraci, distrito de Belém. A iniciativa faz parte do projeto “HMUE visita você”, cuja ideia é proporcionar ao colaborador a aproximação da instituição no momento que o profissional está afastado, além de incentivar a integração e valorização, acolhendo-o de forma humanizada. “É um projeto inovador. É importante porque sentimos que o hospital está preocupado com o colaborador para saber como ele está. Foi uma surpresa essa acolhida e, por meio dela, observamos que o colaborador tem a sua importância dentro da unidade. Até buscava informações de como estava a rotina do nosso trabalho, mas todos as minhas companheiras pediam para que eu focasse no bebê”, disse Natalia, sorrindo.

O projeto, de iniciativa da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, que gerencia a unidade sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), está sendo realizado há oito meses no HMUE, sendo que dez colaboradores foram visitados. A psicóloga organizacional do Hospital Metropolitano, Gilmara Souza, enfatizou que a ideia é que a instituição trabalhe o pertencimento de colaboradores afastados. “É a valorização profissional, enfatizando a importância do nosso colaborador para o hospital, garantindo que todos nós estamos aguardando, com saudade e ansiosos para que ela volte as suas atividades laborais”, explicou Gilmara.