‘Flash Mob’ natalino emociona usuários e colaboradores do Hospital Metropolitano

????????????????????????????????????

Usuário de um Sistema Único de Saúde (SUS), estando internado há três meses no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), o mototaxista Rosivaldo da Silva Barata foi vítima de um acidente de trânsito. Ele tem traumas na perna esquerda e, no momento, locomove-se com o auxílio de uma cadeira de roda em meio ao tratamento. Vai passar o Natal na unidade hospitalar. E, por isso, aproveita todas as oportunidades de celebrar a data especial. Mesmo com dificuldade para sair do leito, Rosivaldo pediu auxílio da acompanhante e da equipe de Enfermagem para prestigiar o flash mob, proporcionada pelo Hospital Metropolitano com o apoio de um grupo de 40 voluntários. ‘Eu fiquei curioso para observar o que seria, porque vi eles passarem e toda a movimentação. Foi algo diferente em um hospital, que é um ambiente comum para médicos e enfermeiros. Muito bom, uma coisa diferente, para nos alegrar já que estamos em uma situação difícil, às vezes, estamos tristes. Uma coisa assim nos alegra”, garantiu Rosivaldo.

Na última quarta-feira, 21/12, o Hospital Metropolitano foi cenário de sentimentos variados, como emoção de usuários, colaboradores, acompanhantes e visitantes, esforço de usuários e extrema satisfação dos organizadores. Estes foram os saldos da ação chamada de flash mob, que são aglomerações instantâneas de pessoas. No caso da programação realizada na unidade, os jovens proporcionaram músicas que remetem ao Natal, com coreografias. Tudo foi realizado de forma surpresa.

A técnica em Enfermagem, Joaneide Costa Mafra, observou a programação do ponto de vista do colaborador, que cuida do paciente. “Além de ser uma coisa bonita, alegra os pacientes que estão, às vezes, tristes de passar o Natal em um hospital. E também nos faz bem, feliz. Trabalho aqui desde a inauguração e nunca vi algo parecido”, disse. A enfermeira Ana Beatriz Costa dos Santos afirmou que a ação gerou cenas impensáveis entre os pacientes da clínica Ortopédica III. “Observamos que eles ficaram acanhados no início, mas aos poucos, saíram para observar. Temos casos até de pacientes que nem saiam do leito e se esforçaram para andar, numa demonstração da felicidade que sentiram”, ressaltou.

A ação natalina foi feita nas clínicas do Hospital Metropolitano, inclusive, a pediátrica, em um dos momentos que gerou emoção entre os trabalhadores. “Observamos a alegria dessas crianças nesse momento e foi uma cena muito bonita. É o carinho e o amor que todos temos por eles”, disse a auxiliar administrativa, Rosilene Azevedo. A dona de casa, Rosa Trindade, que acompanha o neto de oito anos, vítima de um acidente doméstico, disse que a família se sentiu prestigiada com a homenagem. “Foi muito bom porque as músicas trazem alegria. E foi algo surpreendente, ninguém esperava. O meu neto gostou”. A realização do flash mob na recepção principal do hospital levou às lágrimas a visitante Lene Moreira. “Emocionou demais. Queria que o meu filho estivesse no meu lugar para escutar isso”, disse.

Uma das voluntárias, Maryane Silva de Matos, explicou que o grupo ensaiou durante um mês, focando na qualidade musical da apresentação. “Terminamos nossa ação e temos o sentimento de satisfação, pois o trabalho foi maravilhoso e gratificante. As pessoas estão aqui debilitadas, doentes, e viemos trazer um pouco do que é o Natal, com paz e alegria para o coração delas”. Outro integrante do grupo, Nemuel Nascimento, comentou acerca da receptividade do público. “Ficamos extremamente satisfeitos, pelo carinho das pessoas, por observá-las se emocionarem. Estamos muito felizes”.