Hospital Metropolitano avalia e discute resultados

Tendo a missão de salvar vidas no atendimento de urgência e emergência para vítimas de trauma e queimados, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) tem modernas ferramentas e estratégias de gestão para torná-lo frequentemente ainda mais resolutivo para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). No último dia 28/06, os gestores das quatro diretorias (Geral, Administrativa e Financeira, Assistencial e Apoio) participaram da apresentação dos indicadores de Análises Críticas.

O modelo é uma forma de trabalhar a evolução do processo de trabalho, constituindo-se em uma ferramenta imprescindível. Por meio de indicadores, é possível mensurar resultados e possibilidades de melhoria e adequação. “A ideia é que os gestores possam ter visão sistêmica e consigam entender a importância da interação entre os setores e a importância e contribuição de cada um dentro do seu escopo de trabalho”, explicou a gerente do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente do HMUE, Vanessa Bremer.

A apresentação das análises críticas deve ter periodicidade mensal. O Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente atua de forma a fazer os gestores entenderem o seu papel na administração, tendo como base a metodologia da Acreditação (ONA), onde se busca melhoria nos processos. “A partir de um modelo onde todos conhecem onde se quer chegar, trabalhamos a identidade institucional, como missão e visão, dentro de um planejamento com objetivos estratégicos”, avaliou Bremer.