Referência em traumas e queimados, Hospital Metropolitano celebra 14 anos de assistência

A unidade foi inaugurada em 2006, no município de Ananindeua. Atualmente é referência para a região Norte e, apenas em 2019, o Metropolitano realizou mais de meio milhão de atendimentos

No 14º aniversário do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, celebrado nesta terça-feira, 17/3, a paciente Selma Araújo, que ao longo dos últimos sete meses passou por diversos tratamentos, serviços de saúde e ações de humanização, descreve o sentimento de acolhimento prestado pela unidade pública, gerenciado pela Pró-Saúde.

“Cheguei de avião, dia seguinte ao acidente. O atendimento foi tão rápido. Passei por todos os setores desse hospital. Fui recebida por médicos, enfermeiros, terapeutas no CTQ. Na UTI, recebi apoio espiritual quando meu estado era grave. Realizei cirurgias de tratamento e de estética, e até ganhei uma órtese feita especialmente para mim. Participei das programações, e ouvi uma palavra de esperança do diretor do Hospital quando foi me visitar. Todos sempre foram atenciosos e cuidaram de mim”, relata.

O CTQ é o Centro de Tratamento de Queimados e, desde 2012, teve mais de 2.500 internações. Selma sofreu uma descarga elétrica, em junho de 2019, enquanto carregava o celular ligado à tomada, no município de Cachoeira do Arari, interior do Pará. Com quase 60% do corpo queimado, a paciente continua o tratamento no Metropolitano periodicamente, com sessões de fisioterapia e terapia ocupacional, que auxiliam no processo de reabilitação.

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência foi inaugurado em 2006, em Ananindeua, sendo uma unidade do Governo do Estado referência em traumas e queimados de média e alta complexidades para mais de 60 municípios. O hospital possui mais de 20 especialidades em serviços de saúde, e ultrapassa o índice de 96% de aprovação dos usuários.

**Unidade voltada para formação de profissionais**

O médico e coordenador de Residência Médica de Cirurgia Geral do Metropolitano, Thomaz Rodrigues, conhece bem a história do hospital. O profissional atua na unidade praticamente desde a inauguração e destaca que o Metropolitano trouxe uma evolução assistencial e na formação de profissionais da área de saúde.

Em fevereiro de 2020, o hospital formou 60 profissionais na área da saúde e possui a própria residência multiprofissional de Especialização em Urgência e Emergência do Trauma.

“Eu vi toda evolução que esse hospital passou para hoje ser uma referência em saúde. Participei da implantação da nossa residência médica, que hoje também é multiprofissional, com diversas especialidades contribuindo para ser centro de formação de profissionais qualificados”, declara Thomaz.

Reconhecimento e certificações

Para manter a qualidade de atendimento, o Metropolitano promove diversos programas e projetos com foco na satisfação do usuário. Em 2019, foi o vencedor do prêmio INOVA SUS, concedido pelo Ministério da Saúde pela criação do primeiro Laboratório de Tecnologia Assistiva (LABTA), com a fabricação de órteses de baixo custo para vítimas de traumatismo e queimaduras. “Desde a inauguração, mais de 700 órteses foram produzidas para pacientes adultos e pediátricos”, relata Lucas Muniz, terapeuta ocupacional do LABTA.

No mesmo ano, alcançou o segundo lugar nacional no Programa “Green Kitchen”, e recertificação, três anos consecutivos (2017-2019), com o selo verde. O prêmio reconhece as boas práticas sustentáveis, com a adoção de uma alimentação saudável para colaboradores e pacientes, bem como a criação de uma horta sustentável e práticas de compostagem orgânica. A unidade conta, ainda, com o Programa de Classe Hospitalar, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação do Pará, que oferece atendimento educacional especializado, atendimento no leito e assessoramento pedagógico.

O Metropolitano também promove programas de qualificação profissional, no qual são oferecidos mensalmente, treinamentos e capacitações variadas na área assistencial e administrativa. Inaugurou recentemente, o primeiro Laboratório de Educação a Distância disponível para todos profissionais, como reconhecimento pelo trabalho e incentivo à educação.

Comemoração

Um grande bolo sustentável, feito com materiais recicláveis pela equipe de Manutenção da unidade, fez parte da decoração especial nesta terça-feira (17), aniversário do hospital. O vídeo institucional, apresentando todos as conquistas, projetos e programas realizados pela unidade, foi divulgado em todas as recepções da unidade. Os colaboradores receberam docinhos  durante as refeições. A celebração de aniversário contou, ainda, com uma missa especial de agradecimento realizada na recepção da unidade com Padre Nilton Reis, da Paróquia Cristo Peregrino, em Ananindeua, pela manhã.

Na missa, a equipe do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar, aproveitou o momento para repassar orientações de prevenção da Organização Mundial da Saúde e Ministério da Saúde para colaboradores, usuários e acompanhantes, sobre medidas de prevenção no combate ao coronavírus (Covid-19). Em razão aos protocolos de segurança da unidade, a programação foi encerrada ainda pela manhã após orientações.

**Sobre a Pró-Saúde**

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 22 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.