Hospital Metropolitano recebeu a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré

Nesta sexta-feira (30), pacientes, acompanhantes e colaboradores do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), participaram da missa em ação de graças com a presença da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré. A imagem também foi conduzida pelas enfermarias e departamentos da Unidade.

“A hora da visita é esperada pelos pacientes do hospital. A visita de hoje foi especial e eles receberam Nossa Senhora que trouxe bênçãos para que todos recuperem a saúde”, anunciou o padre Nilton Reis, da Paróquia Cristo Peregrino, que presidiu a missa na recepção da Unidade, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com Secretaria de Saúde do Estado do Pará (Sespa).

Itamar Monteiro, diretor Hospitalar da unidade, afirmou que as visitas religiosas fazem parte do dia a dia. “Semanalmente recebemos grupos voluntários de diferentes congregações que trazem um conforto aos pacientes. A visita da imagem peregrina tem uma grande importância para o nosso público interno e externo”, afirmou.

O diretor de Engenharia da Festa de Nazaré, Ronaldo Souza, reconhece o rito. “É uma oportunidade de estar junto à Nossa Senhora, um momento de agradecer. Dentro de um hospital, as pessoas acabam precisando mais de orações, e aqui no Metropolitano, nós podemos sentir a energia dessas pessoas que estão precisando de uma benção e, até mesmo, um agradecimento pela graça alcançada. Essas visitas são muito reconfortantes para mim e sou muito grato a isso”.

O evento teve a participação do Gran Coral Metropolitano, que acompanha as peregrinações e entoou as canções em homenagem à padroeira dos paraenses. Uma das vozes era de Terezinha de Jesus, que integra o grupo há cinco. “Fiquei emocionada com a mensagem do padre. Eu sempre acompanhei o Círio e ao ver as apresentações sentia vontade de participar do coral. Nossa senhora de Nazaré é minha protetora”, revelou.

Após a liturgia, pelas mãos de colaboradores a imagem foi conduzida às enfermarias para estar próxima dos pacientes impossibilitados de se movimentar. A cada entrada, as palavras não eram necessárias: as reverências e os olhos emocionados demonstravam a relação com a imagem em um ato de fé.

Para Andrey Abdon de Sousa, assistente Administrativo do hospital, a devoção está marcada na pele. Ele tatuou a imagem no braço e hoje a levou aos pacientes da Unidade de Terapia Intensiva. “Para mim é muito emocionante o momento em que você entra e vê o paciente que está tentando se recuperar, não vê a hora de voltar para casa”, contou. Desde 2010 ele também participa das outras ações da Unidade no período do Círio, em outubro.

Ações do Círio 

Com uma localização estratégica de entrada e saída da capital, a berlinda de Nazaré passa em vários momentos em frente ao HMUE, que também é trajeto de centenas de promesseiros. Para atender aqueles que chegam à cidade a pé advindos de outros municípios, o Departamento de Ensino e Pesquisa (DEP) da Unidade, reúne pesquisadores, profissionais e residentes da área da saúde em um posto de cuidados multiprofissionais.

Os romeiros passam por verificação de pressão arterial, glicemia e avaliação de lesões nos membros inferiores. As equipes revezam-se na preparação de curativos, aplicação de medicamentos, massagens, além de fornecer água e lanches para que eles concluam com êxito a caminhada.

O Metropolitano também atua no Círio Fluvial, com a Balsa de Atendimento Especializado, em parceria com o Exército Brasileiro e a Cruz Vermelha. Em plena Baía de Guajará, onde ocorre a procissão das águas, estará montada a estrutura de Unidade de Terapia Intensiva, com todo o aparato tecnológico de ventiladores mecânicos, desfibriladores, monitores; e médico, com drenos, e materiais para intubação disponíveis para dar suporte ao evento.

No 2º domingo de outubro, quando ocorre a maior e mais importante das 12 romarias, reunindo mais de dois milhões de pessoas, as equipes da Unidade no Posto de Atendimento da Avenida Presidente Vargas, também em parceria com a Cruz Vermelha, para atender os primeiros socorros em casos de possíveis desmaios, luxações e cortes.

Sobre o HMUE

Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusivo para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI.

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade.

Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.