Colaboradores participam de reunião com Diretor Geral do Hospital Metropolitano

Nesta quarta-feira, 17 de julho, seis colaboradores de diferentes áreas do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) participaram de um encontro com o diretor hospitalar, Itamar Monteiro. A reunião, mediada pelo setor de Gestão de Pessoas, ocorreu com o objetivo de trocar impressões e identificar oportunidades de melhoria no dia a dia da Unidade, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar.

Os Colaboradores se apresentaram e compartilharam as experiências vivenciadas nas suas áreas. Na ocasião, eles também elencaram ações bem-sucedidas e puderam sugerir pontos que podem ser aperfeiçoados. “Podemos reforçar hábitos de preservação do patrimônio e combater atitudes inadequadas, vícios antigos que ainda se mantém desde a implantação do hospital. A responsabilidade pela higiene é de todos os funcionários e não apenas de um setor”, apontou o auxiliar de Higienização e Limpeza Edvan Junior.

A agente de portaria Elaine Botelho contou que iniciou na organização ocupando o cargo de Aprendiz. De lá para cá, ela sentiu, por exemplo, a mudança no processo de integração, que considera, hoje, mais detalhada para facilitar a chegada do Colaborador novato. Ela elogiou a dinâmica. “Essa roda de conversa é muito importante. Saber o que o outro sente, quais os seus problemas. Eu tenho a oportunidade que muita gente não tem. Vim da roça, fazia farinha, um trabalho pesado. Às vezes, com a rotina, vem o desânimo, mas a gente vê o paciente e enxerga um novo significado para a vida”, analisou.

Para Adriana Durans, coordenadora do Núcleo de Educação Permanente, a iniciativa é importante para quem está na ponta. “Obrigada por disponibilizar um pouco do seu tempo para nos ouvir. Sabemos que existem milhares de coisas para resolver. Cada um aqui sabe do seu setor e você sabe do todo. Que bom que tem o equilíbrio de decidir o que é para agora e o que é para depois”, agradeceu ao diretor.

Itamar Monteiro retribuiu a gratidão e reforçou que os Colaboradores devem se manter firmes para o crescimento do hospital. “Todos temos o mesmo valor, a diferença está nas responsabilidades. Não é fácil. A Unidade tem 1.300 funcionários e 5.000 pessoas que precisam dela, por isso temos de ter equilíbrio”, concordou.

De acordo com Nara Mesquita, psicóloga organizacional, as sugestões são analisadas e tomadas as medidas para a aplicação, quando é o caso. A área incentiva esse tipo de troca de informações com a gestão, para além dos dados dos relatórios gerenciais. O olhar de colaboradores já oportunizou mudanças em outros momentos, como o uso de diferentes pulseiras de identificação de acordo com o perfil do público que circula no HMUE.

Sobre o HMUE

Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusivo para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI.

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade.

Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.