Hospital Metropolitano adere à campanha mundial e aborda os cuidados com a saúde dos rins

Com objetivo de reduzir o impacto da doença renal em todo o mundo, a Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN) idealizou, há 14 anos, o Dia Mundial do Rim, celebrado anualmente na segunda quinta-feira do mês de março. Neste ano, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) aderiu à campanha mundial e promove aos colaboradores da Unidade uma programação com palestras e ações interativas para abordar a importância da saúde dos rins, nos dias 13 e 14 de março.

De acordo com a ISN estima-se que haja atualmente no mundo 850 milhões de pessoas com doença renal, equivalente a 10% da população mundial, decorrente de várias causas. A Doença Renal Crônica (DRC) causa pelo menos 2,4 milhões de mortes por ano, com uma taxa crescente de mortalidade. Com o tema deste ano “Saúde dos rins para todos”, o Dia Mundial do Rim se propõe a aumentar a conscientização sobre a alta e crescente presença de doenças renais em todo o mundo e a necessidade de estratégias para a prevenção e o gerenciamento de doenças renais.

Com base na relevância desses dados, as atividades da campanha foram iniciadas no HMUE – gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) – com a palestra do médico nefrologista da Unidade, Luis Cláudio Pinto, que falou sobre a funcionalidade do rim, a importância do consumo de água e outros hábitos, e os fatores de risco para a Doença Renal Crônica.

De acordo com o médico, o bom funcionamento dos rins é fundamental para saúde de todo o organismo. “Os rins têm funções importantes como regular a pressão arterial, filtrar o sangue, eliminam as toxinas do corpo, controlar a quantidade de sal e água do organismo, produzir hormônios que evitam a anemia e as doenças ósseas, entre outras”.

O nefrologista explicou ainda que a Doença Renal Crônica é silenciosa, ou seja, não apresenta sintomas ou são poucos e inespecíficos, podendo haver demora no diagnóstico. “Portanto são fundamentais a prevenção e o diagnóstico precoce da doença, que tem tratamento e que pode ser observada com a realização de exames de baixo custo, como o exame de urina e a dosagem de creatinina no sangue”, destacou Luis Cláudio.

Para o enfermeiro do Pronto Atendimento do Hospital, João Paulo Pinheiro, a ação realizada pelo HMUE acendeu uma luz de alerta para o cuidado com a saúde renal. “No dia a dia a gente trabalha e se preocupa tanto em cuidar da saúde dos pacientes, que esquecemos da nossa. As informações me fizeram dar mais atenção a um hábito simples, mas que muitas vezes não dou a devida importância, que é beber água. Se manter hidratado é essencial para que os rins funcionem bem e evitar problemas renais muito sérios”, observou o colaborador.

A coordenadora da Organização de Procura de Órgãos (OPO) do Metropolitano, Fátima Albuquerque, destaca que o objetivo da programação é justamente ampliar as informações aos colaboradores e provocar uma reflexão e mudança de hábitos para a prevenção. “Tamanha a importância do cuidado com a saúde renal, a Medicina do Trabalho do HMUE decidiu incluir, a partir deste mês, a solicitação do exame de creatinina no periódico dos colaboradores que fazem parte do grupo de risco – hipertensos, obesos e diabéticos –, pelo programa HMUE Saudável”, contou Fátima.

Forró Renal – A programação alusiva ao Dia Mundial do Rim, promovida pela Organização de Procura de Órgãos (OPO), Humanização e Medicina do Trabalho do HMUE, também colocou os colaboradores para se movimentar com a atividade do Forró Renal, utilizando a dança como estímulo para o funcionamento do aparelho urinário.

“O movimento rítmico e contínuo da dança é capaz de estabilizar o organismo em apenas três minutos de atividade favorecendo o trabalho dos rins, pois equilibra a pressão arterial e a taxa glicêmica e melhora a filtração e a oxigenação do sangue”, explicou o fisioterapeuta do Trabalho, Luiz Augusto Duarte.

As ações interativas continuam nesta quinta-feira, 14/03, com exercícios de ginástica laboral específico para os rins in loco nos setores assistenciais e administrativos da Unidade.

Sobre o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE)

Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusivo para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI.

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma das maiores entidades de gestão de serviços de saúde e administração hospitalar do País. Fundada em 1967, como Associação Monlevade de Serviços Sociais, em João Monlevade (MG), a Pró-Saúde é uma entidade filantrópica sem fins lucrativos. Tem sob sua responsabilidade 2.500 leitos e o trabalho de cerca de 16 mil profissionais, sendo 2,9 mil médicos, além de reunir um dos maiores quadros de administradores hospitalares do Brasil, contribuindo para a humanização do atendimento hospitalar, em especial do Sistema Único de Saúde (SUS).